A história do Direito é o meio pelo qual se lapidam e igualmente se refinam as instituições jurídicas, contribuindo também para o aperfeiçoamento do homem. Já dizia Cícero, em sábias palavras, ser a história a verdadeira testemunha dos tempos, o esplendor da verdade, o alento da memória, a mestra da vida, o arauto da antiguidade: historia vero testis temporum, lux veritatis, vita memoriae, magistra vitae, nuntia vetustatis. No Brasil, durante pelo menos quatro décadas anteriores a 1930, discutia-se acerca da necessidade ou não de unicidade judiciária. Basicamente, as reflexões se davam nos seguintes termos: a) Unicidade judiciária, mantendo o sistema de justiça único sob a responsabilidade da União, ou a dualidade judiciária federal e estadual.
Editora: Editora Thoth
Categorias: Códigos e Leis, Direito Processual Civil

Tags:

#Códigos Estaduais

Autores:

Comentários
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!
Avaliações
  • Muito bom livro

    26/01/2022  

ISBN: 978-65-5959-194-7

IDIOMA: Português

NÚMERO DE PÁGINAS: 325

NÚMERO DA EDIÇÃO: 1ª Edição

DATA DE PUBLICAÇÃO: Janeiro/2022

A história do Direito é o meio pelo qual se lapidam e igualmente se refinam as instituições jurídicas, contribuindo também para o aperfeiçoamento do homem.

Já dizia Cícero, em sábias palavras, ser a história a verdadeira testemunha dos tempos, o esplendor da verdade, o alento da memória, a mestra da vida, o arauto da antiguidade: historia vero testis temporum, lux veritatis, vita memoriae, magistra vitae, nuntia vetustatis.
No Brasil, durante pelo menos quatro décadas anteriores a 1930, discutia-se acerca da necessidade ou não de unicidade judiciária. Basicamente, as reflexões se davam nos seguintes termos:
a) Unicidade judiciária, mantendo o sistema de justiça único sob a responsabilidade da União, ou a dualidade judiciária federal e estadual.

b) Unicidade processual a cargo da União, ou dualidade processual como encargo dos estados e da União, ficando esta última restringida apenas a processos envoltos a interesses federais.

Verdade é que, com a República, tivemos a criação da pluralidade processual estadual e federal, tendo a Constituição de 1891 outorgado aos estados federados a prerrogativa de legislar sobre processo e organização judiciária.

Campos Salles, eleito Presidente da República do Brasil em 1898, concebia os estados federados com todos os seus poderes autônomos, resultando daí a tese da pluralidade processual, ou seja, a instauração de códigos processuais civis em todas as unidades da federação.

É sobre este momento da história jurídica e judiciária pátria que a presente Coleção “Códigos Estaduais Brasileiros de Processo Civil” da Editora Thoth se dedica, republicando-os para fins de oportunizar às mais diversas gerações de estudantes e estudiosos do Direito Processual Civil, um resgate histórico do seu tempo, traduzindo em experiências e particularidades de cada estado brasileiro, o lançamento de luzes à compreensão do que, de fato, vivemos e do que fora vivido em outros tempos, ainda que em alguns casos as ideias permaneçam incólumes.
.
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!

Você também pode gostar:

STANDARDS DE PROVA NO PROCESSO CIVIL . R$ 72,00
COLETIVIZAÇÃO E UNIDADE DO DIREITO VOL. III . R$ 91,00
PROCESSO CIVIL BRASILEIRO SUAS FASES CULTURAIS E ESCOLAS . R$ 112,00
PROCESSO E GARANTIA . R$ 59,00
UMA DECISÃO CORRETA PARA CADA CASO? A QUESTÃO DA DISCRICIONARIEDADE JUDICIAL NO PROCESSO CIVIL BRASILEIRO R$ 56,00
Processo Estrutural dos Desastres Dever Estatal de Prevenção a partir do Paradigma das Calamidades Hidrológicas R$ 65,00
SANEAMENTO DO PROCESSO A DECISÃO DE SANEAMENTO E SUA FUNCIONALIDADE NO PROCESSO CIVIL BRASILEIRO R$ 59,00
PRECEDENTES JUDICIAIS ANÁLISE CRÍTICA DOS MÉTODOS EMPREGADOS NO BRASIL PARA A SOLUÇÃO DE DEMANDAS DE MASSA R$ 139,90