O presente manual tem como objetivo propiciar tanto àqueles que se preparam para as provas dissertativas dos concursos da magistratura quanto aos operadores do Direito que labutam na jurisdição criminal elementos para que possam se preparar e compreender o mais nobre momento da atividade jurisdicional, que é a prolação da sentença, fazendo uso de linguagem direta, com enfoque na doutrina e jurisprudência atualizada. Na primeira parte da obra, apresentamos um embasamento abstrato sobre a sentença penal, com enfoque na teoria da pena e sua dosimetria, bem como nos elementos da sentença. Num segundo momento, passou-se a aprofundar os aspectos práticos da decisão, explicitando seus elementos, com norte maior na quantificação da reprimenda a ser aplicada, mediante o oferecimento de modelos práticos para facilitar a compreensão do leitor. Finalizou-se com dicas gerais práticas sobre as dúvidas mais comuns na prova de sentença dos concursos da magistratura, assim como a apresentação dos principais enunciados de súmula e recursos repetitivos dos Tribunais Superiores, além de enunciados de provas de sentença de diversos concursos da magistratura realizados nos últimos anos pelos tribunais do Brasil. Desejamos uma excelente leitura.
Editora: Editora Mizuno
Categorias:

Tags:


Autores:

Comentários
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!
Avaliações
  • Este arquivo ainda não possui nenhuma avaliação... seja o primeiro a avaliar!

ISBN: 9786555262148

IDIOMA: Português

NÚMERO DE PÁGINAS: 404

NÚMERO DA EDIÇÃO: 1ª Edição

DATA DE PUBLICAÇÃO: Maio/2021

O presente manual tem como objetivo propiciar tanto àqueles que se preparam para as provas dissertativas dos concursos da magistratura quanto aos operadores do Direito que labutam na jurisdição criminal elementos para que possam se preparar e compreender o mais nobre momento da atividade jurisdicional, que é a prolação da sentença, fazendo uso de linguagem direta, com enfoque na doutrina e jurisprudência atualizada.

Na primeira parte da obra, apresentamos um embasamento abstrato sobre a sentença penal, com enfoque na teoria da pena e sua dosimetria, bem como nos elementos da sentença. Num segundo momento, passou-se a aprofundar os aspectos práticos da decisão, explicitando seus elementos, com norte maior na quantificação da reprimenda a ser aplicada, mediante o oferecimento de modelos práticos para facilitar a compreensão do leitor.

Finalizou-se com dicas gerais práticas sobre as dúvidas mais comuns na prova de sentença dos concursos da magistratura, assim como a apresentação dos principais enunciados de súmula e recursos repetitivos dos Tribunais Superiores, além de enunciados de provas de sentença de diversos concursos da magistratura realizados nos últimos anos pelos tribunais do Brasil. Desejamos uma excelente leitura.

Tópicos abordados
Lei Anticrime (Lei nº 13.964/19)
Jurisprudência mais recente do STF e do STJ
Didática dialogada, com respostas a mais de 260 perguntas específicas sobre sentença criminal e dosimetria da pena
Modelos práticos de redação de sentença criminal
Dicas práticas e teóricas específicas para a prova de sentença criminal do concurso da magistratura
Enunciados de Súmulas dos Tribunais Superiores mais cobrados nas provas de sentença penal da magistratura
Provas práticas reais aplicadas nos concursos da magistratura para treinamento
CAPÍTULO I
DAS PENAS
Sanção Penal

Conceito de Pena

Princípios Aplicáveis às Penas

Reserva Legal

Anterioridade

Intranscendência ou Responsabilidade Pessoal

Humanidade

Intervenção Mínima

Proporcionalidade

Individualização

Teorias da Pena

Teoria Absoluta e Finalidade Retributiva

Teoria Relativa e Finalidade Preventiva

Teoria Mista, Unificadora ou Eclética

Teoria Agnóstica ou Negativa

Função Social da Pena

Individualização da Pena e sua Evolução Histórica



CAPÍTULO II
ELEMENTOS DA SENTENÇA CRIMINAL
Introdução

Etimologia e Conceito De Sentença

Elementos Estruturais da Sentença Criminal e seus Requisitos

Relatório

Fundamentação

Materialidade/Existência do Fato

Autoria do Fato

Tipicidade Penal

Dispositivo



CAPÍTULO III
DOSIMETRIA DA PENA
Método Trifásico de Dosimetria da Pena

Hierarquia das Fases da Pena – Escalonamento Crescente Verticalizado

Primeira Fase – Fixação da Pena-Base (Circunstâncias Judiciais)

Culpabilidade

Dos Antecedentes

Conduta Social

Personalidade do Agente

Motivos

Circunstâncias do Crime

Consequências do Crime

Comportamento da Vítima

Circunstâncias Judicias na Legislação Especial

Exame das Circunstâncias Judiciais na Lei de Drogas

Exame das Circunstâncias Judiciais na Lei dos Crimes Ambientais

Segunda Fase — Pena Provisória (Circunstâncias Legais)

Forma de Cálculo das Circunstâncias Legais

Das Circunstâncias Agravantes

Da Reincidência (Art. 61, I, do CP)

Motivo Fútil ou Torpe (Art. 61, II, “A”, do CC)

Para Facilitar ou Assegurar a Execução, a Ocultação, a Impunidade ou Vantagem de Outro Crime (Art. 61, II, “B”, do CP)

Com Traição, Emboscada, Dissimulação ou Outro Recurso que Dificultou ou Tornou Impossível a Defesa do Ofendido (Art. 61, II, “C”, do CP)

Com Emprego de Veneno, Fogo, Explosivo, Tortura ou Outro Meio Insidioso ou Cruel, ou de que Possa Resultar Perigo Comum (Art. 61, II, “D”, do CP)

Contra Ascendente, Descendente, Irmão ou Cônjuge (Art. 61, II, “E”, do CP)

Com Abuso de Autoridade ou Prevalecendo-se de Relações Domésticas, de Coabitação ou de Hospitalidade ou com Violência Contra a Mulher na Forma da Lei Específica (Art. 61, II, “F”, do CP)

Com Abuso de Poder ou Violação de Dever Inerente a Cargo, Ofício, Ministério ou Profissão (Art. 61, II, “G”, do CP)

Contra Criança, Maior de 60 (Sessenta) Anos, Enfermo ou Mulher Grávida (Art. 61, II, “H”, do CP)

Quando o Ofendido Estava sob a Imediata Proteção da Autoridade (Art. 61, II, “I”, do CP)

Em Ocasião de Incêndio, Naufrágio, Inundação ou Qualquer Calamidade Pública, ou de Desgraça Particular do Ofendido (Art. 61, II, “J”, do CP)

Em Estado de Embriaguez Preordenada (Art. 61, II, “L”, do CP)

Das Agravantes Previstas na Legislação Penal Especial

Lei dos Crimes Ambientais

Lei de Segurança Nacional

Código de Defesa do Consumidor

Código de Trânsito Brasileiro

Lei das Organizações Criminosas

Das Agravantes nos Crimes Praticados por Duas ou mais Pessoas (Art. 62, do CP)

Agente que Promove, ou Organiza a Cooperação no Crime ou Dirige A Atividade dos Demais Agentes (Art. 62, I, do CP);

Coage ou Induz Outrem à Execução Material do Crime;

Instiga ou Determina a Cometer o Crime Alguém Sujeito à Sua Autoridade ou Não Punível em Virtude de Condição ou Qualidade Pessoal;

Executa o Crime, ou Nele Participa, Mediante Paga ou Promessa de Recompensa;

Das Circunstâncias Legais Atenuantes

Ser o Agente Menor de 21 (Vinte e Um) na Data do Fato, ou Maior De 70 (Setenta) Anos na Data da Sentença (Art. 65, I, do CP);

Menoridade Relativa (Primeira Parte)

Senilidade (Segunda Parte)

O Desconhecimento da Lei (Art. 65, II, do CP);

O Agente Cometido o Crime por Motivo de Relevante Valor Social ou Moral (Art. 65, III, “A”, do CP);

Ter o Agente Procurado, por sua Espontânea Vontade e com Eficiência, logo após o Crime, Evitar-lhe ou Minorar-lhe as Consequências, ou Ter, Antes do Julgamento, Reparado o Dano (Art. 65, III, “B”, do CP);

Ter o Agente Cometido o Crime sob Coação a que Podia Resistir, ou em Cumprimento de Ordem de Autoridade Superior, ou Sob a Influência de Violenta Emoção, Provocada por Ato Injusto da Vítima (Art. 65, III, “C”, do CP);

Ter o Agente Confessado Espontaneamente, Perante a Autoridade, a Autoria do Crime (Art. 65, III, “D”, do CP)

Ter o Agente Cometido o Crime sob a Influência de Multidão em Tumulto, se Não o Provocou (Art. 65, III, “E”, do CP)

Atenuante em Razão e Circunstância Relevante, Anterior ou Posterior ao Crime, Embora não Prevista Expressamente em Lei (Art. 66)

Das Atenuantes da Pena Previstas em Legislação Especial

Concurso entre Agravantes e Atenuantes Genéricas

Terceira Fase — Pena Definitiva (circunstâncias legais específicas)

Forma de Cálculo das Majorantes e Minorantes da Pena

Das Majorantes e Minorantes Previstas na Lei de Drogas

Majorantes do Rol do Art. 40

A Natureza, a Procedência da Substância ou do Produto Apreendido e as Circunstâncias do Fato evidenciarem a Transnacionalidade do Delito (Art. 40, I, da LD)

O Agente Praticar o Crime Prevalecendo-se de Função Pública ou no Desempenho de Missão de Educação, Poder Familiar, Guarda ou Vigilância (Art. 40, II, da LD)

A Infração Tiver sido Cometida nas Dependências ou Imediações de Estabelecimentos Prisionais, de Ensino ou Hospitalares, de Sedes de Entidades Estudantis, Sociais, Culturais, Recreativas, Esportivas, ou Beneficentes, de Locais de Trabalho Coletivo, de Recintos onde se Realizem Espetáculos ou Diversões de Qualquer Natureza, de Serviços de Tratamento de Dependentes de Drogas ou de Reinserção Social, de Unidades Militares ou Policiais ou em Transportes Públicos (Art. 40, III, da LD);

O Crime Tiver sido Praticado com Violência, Grave Ameaça, Emprego de Arma de Fogo, ou Qualquer Processo de Intimidação Difusa ou Coletiva (Art. 40, IV, da LD);

Caracterizado o Tráfico entre Estados da Federação ou entre estes e Distrito Federal (Art. 40, V, da LD)

Sua Prática Envolver ou Visar a Atingir Criança ou Adolescente ou a quem tenha, por qualquer Motivo, Diminuída ou Suprimida a Capacidade de Entendimento e Determinação (Art. 40, VI, da LD);

O Agente Financiar ou Custear a Prática do Crime (Art. 40, VII, DA LD)

Minorantes Previstas na Lei de Drogas

Do Tráfico Privilegiado (Art. 33, § 4º, da LD)

Da Colaboração Voluntária (Art. 41, Caput, da LD)

Semi-Imputabilidade (Art. 46, Caput, da LD)



CAPÍTULO IV
CONCURSO DE CRIMES
Introdução

Conceito

Sistemas de Aplicação da Pena para o Concurso de Crimes

Sistema do Cúmulo Material

Sistema da Exasperação da Pena

Espécies De Concurso de Crimes

Concurso Material

Concurso Formal

Continuidade Delitiva

Crime Continuado Genérico ou Comum

Crime Continuado Específico

Concurso Material Benéfico



CAPÍTULO V
PENA DE MULTA
Conceito

A Pena de Multa no Código Penal

Pena de Multa na Lei de Drogas (Lei nº 11.343/2006)



CAPÍTULO VI
REGIME PRISIONAL INICIAL PARA CUMPRIMENTO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE
Introdução

Critérios para Fixação do Regime Prisional Inicial para Cumprimento da Pena Privativa de Liberdade

Detração na Sentença Condenatória para Fins de Determinação do Regime Inicial de Cumprimento da Pena Privativa de Liberdade (Art. 387, §2º, do CPP)



CAPÍTULO VII
SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE POR RESTRITIVA DE DIREITOS
Introdução

Espécies de Penas Restritivas de Direito

Prestação Pecuniária (Art. 45, §§ 1º E 2º, do CP)

Perda de Bens e Valores (Art. 45, § 3º, do CP)

Prestação de Serviços à Comunidade (Art. 46 do CP)

Interdição Temporária de Direitos (Art. 47 do CP)

Limitação de Fim de Semana (Art. 48 do CP)

Substituição da Pena na Legislação Penal Especial

Lei de Lavagem de Dinheiro

Lei dos Crimes Ambientais



CAPÍTULO VIII
SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA
Introdução

Espécies de Sursis Previstas no Código Penal e Requisitos para a sua Concessão na Sentença Condenatória pelo Juiz

2.1. Sursis Comum

Requisitos Objetivos

2.1.2. Requisitos Subjetivos

Sursis Especial

Sursis Etário

Sursis Humanitário



CAPÍTULO IX
DISPOSIÇÕES FINAIS
Efeitos da Sentença Penal Condenatória

Efeitos Extrapenais da Sentença Penal Condenatória

Efeitos Extrapenais Genéricos

Tornar Certa a Obrigação de Indenizar

Confisco dos Instrumentos e Produtos do Crime

Efeitos Extrapenais Específicos

A Perda de Cargo, Função Pública ou Mandato Eletivo (Inciso I)

A Incapacidade para o Exercício do Poder Familiar, da Tutela ou da Curatela nos Crimes Dolosos Sujeitos à Pena de Reclusão Cometidos contra outrem Igualmente Titular do mesmo Poder Familiar, contra Filho, Filha ou outro Descendente ou contra Tutelado ou Curatelado (Inciso II)

A Inabilitação para Dirigir Veículo quando Utilizado como Meio para a Prática de Crime Doloso (Inciso III)

Efeitos Da Condenação Na Legislação Penal Especial

Lei de Tortura

Lei de Organização Criminosa

Lei dos Crimes Resultantes de Preconceito de Raça ou de Cor

Lei de Lavagem de Capitais

Lei de Falência

Lei de Abuso de Autoridade

Lei de Drogas

Fixação do Mínimo Indenizatório – Art. 387, IV, do CPP



CAPÍTULO X
CONSIDERAÇÕES FINAIS OBRIGATÓRIAS
Exame do “Status Libertatis”

Expedição de Mandado de Prisão ou de Alvará de Soltura

Expedição de Guia de Execução ou de Recolhimento

Comunicação ao Tribunal Regional Eleitoral

Rol dos Culpados e sua Revogação pela Lei nº 12.402/2011

Intimação do Ofendido

Sentença Penal Absolutória

Custas Processuais

Arquivamento do Processo

Providências Específicas

Epílogo

Autenticação da Sentença



CAPÍTULO XI
DICAS GERAIS PRÁTICAS PARA A PROVA DE SENTENÇA DA MAGISTRATURA


CAPÍTULO XII
PRINCIPAIS ENUNCIADOS DE SÚMULA DOS TRIBUNAIS SUPERIORES COBRADOS NAS PROVAS DE SENTENÇA DOS CONCURSOS DA MAGISTRATURA
Enunciados da Súmula do Superior Tribunal de Justiça

Enunciados da Súmula do Supremo Tribunal Federal

Enuncia
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!

Você também pode gostar:

CIÊNCIA PENAL EM PERSPECTIVA COMPARADA ENSAIOS E REFLEXÕES R$ 75,00
DEBATES INTERDISCIPLINARES EM SAÚDE . Gratuito
DIREITOS FUNDAMENTAIS, DIGNIDADE, CONSTITUIÇÃO ESTUDOS EM HOMENAGEM A INGO WOLFGANG SARLET R$ 98,00
ESTADOS PRIVADOS O REAL PAPEL DAS EMPRESAS MULTINACIONAIS NO MUNDO ATUAL R$ 52,00
DIREITO URBANÍSTICO ESTATUDO DA CIDADE, PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO, TOMBAMENTO, CONCESSÃO URBANÍSTICA R$ 66,00
A Formação Desportiva e o Direito do Trabalho A Criança e o Adolescente no Esporte R$ 45,00
LEI DE ARBITRAGEM E LEI DE MEDIAÇÃO ANOTADA . R$ 35,00
CONTRATOS EMPRESARIAIS DE COLABORAÇÃO A RESILIÇÃO UNILATERAL E A PROTEÇÃO DOS INVESTIMENTOS R$ 51,00