Este livro discorre a respeito da problemática da pena: se ela tem uma finalidade constitucional definida; se tem dissuadido e desestimulado o delinquente de praticar novos delitos; se tem trazido sensação de segurança aos integrantes do agrupamento humano; e se o sistema estaria deficiente em alguma de suas partes. Ele aborda as origens históricas das penas, desde as mais recuadas eras até aos dias modernos; analisa os grandes postulados defendidos pelas escolas penais: Clássica, Positiva e outras de cunho mais eclético, bem como os principais movimentos do Direito Penal hodierno. Em seguida, estuda as linhas mestras e as principais fontes constitucionais do Direito Penal, e depois analisa a pena em consonância com o Código Penal brasileiro e com a Lei de Execução Penal (LEP); e, por fim, aborda as possíveis soluções para a crise no sistema prisional brasileiro, tendo como ponto de partida a Teoria dos Sistemas Sociais de Niklas Luhmann, e as ideias de Justiça de John Rawls e Amartya Sen. Nesse diapasão, trata o sistema punitivo como um organismo ou uma engrenagem composta de quatro instituições imprescindíveis à realização da justiça criminal no Brasil: legislativa, policial, judicial e prisional.
Editora: Editora Mizuno
Categorias: Direito Penal , Direito Processual Penal

Tags:

#Direito Penal Econômico, #Execução penal, #Processo Penal, #Responsabilidade penal

Autores:

Comentários
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!
Avaliações
  • Este arquivo ainda não possui nenhuma avaliação... seja o primeiro a avaliar!

ISBN: 9786555262667

IDIOMA: Português

NÚMERO DE PÁGINAS: 186

NÚMERO DA EDIÇÃO: 1ª Edição

DATA DE PUBLICAÇÃO: Julho/2021

Este livro discorre a respeito da problemática da pena: se ela tem uma finalidade constitucional definida; se tem dissuadido e desestimulado o delinquente de praticar novos delitos; se tem trazido sensação de segurança aos integrantes do agrupamento humano; e se o sistema estaria deficiente em alguma de suas partes.

Ele aborda as origens históricas das penas, desde as mais recuadas eras até aos dias modernos; analisa os grandes postulados defendidos pelas escolas penais: Clássica, Positiva e outras de cunho mais eclético, bem como os principais movimentos do Direito Penal hodierno.

Em seguida, estuda as linhas mestras e as principais fontes constitucionais do Direito Penal, e depois analisa a pena em consonância com o Código Penal brasileiro e com a Lei de Execução Penal (LEP); e, por fim, aborda as possíveis soluções para a crise no sistema prisional brasileiro, tendo como ponto de partida a Teoria dos Sistemas Sociais de Niklas Luhmann, e as ideias de Justiça de John Rawls e Amartya Sen. Nesse diapasão, trata o sistema punitivo como um organismo ou uma engrenagem composta de quatro instituições imprescindíveis à realização da justiça criminal no Brasil: legislativa, policial, judicial e prisional.

Você encontra no livro "Teoria da Pena - A Finalidade Constitucional da Pena Criminal no Brasil":
História da Pena através dos Tempos
Escolas Penais e Movimentos do Direito Penal
Pena na Constituição Brasileira
Pena no Código Penal Brasileiro
Pena na Lei de Execução Penal
Sistema Punitivo Brasileiro à luz da Teoria dos Sistemas de Luhmann
Sistema Punitivo Brasileiro à luz das ideias de Justiça de John Rawls e Amartya Sen
CAPÍTULO 1
DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO DA PENALIZAÇÃO CRIMINAL
1.1 Idade Antiga

1.2 Idade Média

1.3 Idade Moderna

1.4 Idade Contemporânea

1.5 Brasil Indígena

1.6 Brasil Colônia

1.7 Brasil Império

1.8 Brasil República

CAPÍTULO 2
ESCOLAS PENAIS E POSIÇÕES DE LEGITIMAÇÃO E DESLEGITIMAÇÃO DO SISTEMA PUNITIVO
2.1 Escola Clássica

2.2 Escola Positiva

2.3 Escola Moderna Alemã

2.4 Escola Técnica-Jurídica Italiana

2.5 Escola Correcionalista e da Defesa Social

2.6 Expansionismo Legitimador

2.7 Abolicionismo Deslegitimador

2.8 Minimalismo Radical Deslegitimador

2.9 Posição Intermediária

CAPÍTULO 3
PENA NA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
3.1 Princípio da Dignidade da Pessoa

3.2 Princípio da legalidade e da anterioridade da Lei Penal

3.3 Princípio da Pessoalidade da Pena

3.4 Princípio da Individualização da Pena

3.5 Princípio da Proporcionalidade

3.6 Princípio da Dignidade Física e Moral dos Presos

3.7 Princípio da presunção de inocência

3.8 Princípio da Humanidade das Penas

CAPÍTULO 4
PENA NO CÓDIGO PENAL BRASILEIRO E NA LEI DE EXECUÇÃO PENAL
4.1 Penas Privativas de Liberdade

4.2 Penas Restritivas de Direitos

4.3 Pena de Multa

4.4 Direitos do Preso

4.5 Deveres do Condenado

4.6 Faltas Disciplinares

4.7 Aplicação da Pena

CAPÍTULO 5
POSSÍVEIS SOLUÇÕES PARA A CRISE NO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO TENDO COMO PONTO DE PARTIDA A TEORIA DOS SISTEMAS SOCIAIS DE NIKLAS LUHMANN E A IDEIA DE JUSTIÇA DE AMARTHYA SEN
5.1 Teoria dos Sistemas Sociais de Luhmann

5.2 Ideia de Justiça em John Rawls

5.3 A Ideia da Justiça em Amarthya Sen

5.4 Possíveis Soluções Legislativas

5.5 Possíveis Soluções Penitenciárias

5.6 Possíveis soluções governamentais

5.7 Possíveis Soluções Judiciais

CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
  • Este arquivo ainda não possui nenhum comentário... seja o primeiro a comentar!

Você também pode gostar:

Teoria da Pena A Finalidade Constitucional da Pena Criminal no Brasil R$ 64,00
Feminicídio Controvérsias e Aspectos Práticos - 2ª Edição R$ 58,00
II CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Direito Penal e Cibercrimes Gratuito
CADEIA DE CUSTÓDIA DAS INTERCEPTAÇÕES TELEFÔNICAS FORMA DE CONTROLE EPISTEMOLÓGICO DA PROVA NO PROCESSO PENAL R$ 54,00
Lavagem de Capitais . R$ 76,00
Delegado de Polícia e o Direito Criminal . R$ 108,00
O Direito penal da guerra às drogas 4º Ed R$ 99,90
DIREITO PENAL ECONÔMICO ADMINISTRATIVIZAÇÃO DO DIREITO PENAL, CRIMINAL COMPLIANCE E OUTROS TEMAS CONTEMPORÂNEOS R$ 52,00